Linha do Oeste: Governo aprovou em Conselho de Ministros fim da linha entre Caldas da Rainha e Figueira da Foz

Linha do Oeste | Plano Estratégico dos Transportes

Governo acaba com comboios de passageiros entre Caldas e Figueira

O Governo aprovou em Conselho de Ministros o Plano Estratégico dos Transportes, que prevê a execução das reformas estruturais do sector, dando seguimento ao memorando de entendimento assinado com a Troika. O documento prevê a desactivação até ao final do ano do serviço de passageiros na linha do Oeste entre Caldas da Rainha e Figueira da Foz.

Mantém-se a linha activa para o transporte de mercadorias e será assegurada a mobilidade das populações através de transporte rodoviário alternativo. A medida acaba por ser uma machadada nas pretensões de requalificação e modernização da Linha do Oeste, há muito ambicionadas por autarcas e populações dos concelhos servidos.

E se a ligação até Lisboa ainda se mantém, fica a dúvida se dentro de algum tempo não será também encerrado este troço, de resto algo que tinha sido equacionado pelo Governo anterior, num estudo entregue à Troika, elaborado pelo Ministério das Finanças e o das Obras Públicas e Transportes, que preconizava o encerramento da Linha do Oeste entre Torres Vedras e Louriçal, próximo da Figueira da Foz.

Ler mais deste artigo

Empreendimento de luxo em Torres Vedras declarado insolvente

Torres Vedras | Economia

O Tribunal de Torres Vedras declarou a insolvência do Grupo Orizon, detentor do Resort Campo Real, empreendimento de cinco estrelas com 150 trabalhadores localizado naquele concelho, disse hoje fonte da empresa.
Fonte do Grupo Orizon disse à agência Lusa que o tribunal decretou há duas semanas a insolvência daquela entidade, dando assim início ao processo que passa a ser gerido por um administrador de insolvência.

A mesma fonte adiantou que a empresa está a elaborar um plano de recuperação financeira.

Entre os credores estão o BCP e a Turismo Fundos, detida pelo Turismo de Portugal, Caixa Geral de Depósitos e Banco Espírito Santo.

A insolvência foi gerada em resultado da crise financeira, que afecta o sistema bancário.

Ler mais… Economia – Sol

Câmara de Torres Vedras corta despesas com transportes escolares

Câmara de Torres Vedras corta despesas com transportes escolares

A Câmara de Torres Vedras vai deixar de pagar no próximo ano lectivo os transportes aos alunos que frequentem a escolaridade obrigatória e que residam a menos de quatro quilómetros da escola.

A vereadora da Educação, Laura Rodrigues disse à Agência Lusa que até agora era paga a totalidade do passe escolar a todos os alunos do concelho mas, por não ser uma obrigatoriedade legal, “há necessidade de cortar agora na despesa” dadas as limitações orçamentais que afectam as autarquias.

Ler mais deste artigo

Agricultura já vale dez por cento nos negócios do grupo de transportes Paulo Duarte

Agricultura | Torres Vedras

O Grupo Paulo Duarte é uma empresa da zona do Oeste, que dá emprego a cerca de 800 pessoas, vai investir cerca de cinco milhões de euros nos próximos quatro anos para plantação de pomares

O verde-escuro das folhas da ameixoeira são um sinal de qualidade. José Paulo Duarte aponta para o pomar, com vista para a serra de Montejunto, e mostra as árvores carregadas de ameixas. O Grupo Paulo Duarte, fundado pelo seu pai em 1964 – o primeiro em Portugal a transportar vinho em cisterna – tem sete empresas de transportes, cerca de 800 trabalhadores, 550 viaturas, 550 reboques… e 72 hectares de pomares. Aos camiões-cisterna juntam-se os tractores, as alfaias agrícolas, os armazéns de fruta. A aventura no sector agrícola começou há 15 anos com a compra da Abrunhoeste. […]

Contas feitas, o negócio da agricultura já pesa dez por cento na facturação da empresa que, o ano passado, teve receitas de 51,6 milhões de euros. “Temos ganho dinheiro com a agricultura. É um negócio com futuro”, defende José Paulo Duarte, confessando que tem “paixão pela terra” e que gosta de “ver nascer coisas”. “O país precisa de investir em produção. Já chega de investir em apartamentos”, remata.

Ler mais no… PUBLICO

Linha do Oeste pode ficar limitada ao troço Torres Vedras – Lisboa

Refer | Linha do Oeste

Linha do Oeste pode ficar limitada ao troço Torres Vedras – Lisboa

Um estudo entregue à troika, elaborado pelo Ministério das Finanças e o das Obras Públicas e Transportes do governo anterior, preconiza o encerramento da linha do Oeste entre Torres Vedras e Louriçal, deixando Caldas da Rainha, Bombarral, Marinha Grande e Leiria sem comboios.

Linha do Oeste, entre Torres Vedras e LouriçalO documento considera o encerramento de 800 quilómetros de linhas férreas em todo o país como forma de diminuir o défice da Refer e da CP tendo em conta o mau estado das finanças públicas.São 127 os quilómetros de via férrea entre Louriçal (Figueira da Foz) e Torres Vedras  que poderão encerrar caso o governo de Passos Coelho aceite como boa uma proposta entregue à troika pelo anterior governo, que propõe no total o
encerramento de 794 quilómetros de linhas de caminho-de-ferro em todo o país.Na prática isto significa que a linha do Oeste ficaria reduzida ao troço Lisboa – Torres Vedras,  encerrando o resto da linha até à Figueira da Foz.Deste modo, Bombarral, Caldas da Rainha, Marinha Grande e Leiria ficariam afastadas da geografia ferroviária nacional, havendo, quanto muito alguns comboios de mercadorias a circular na linha.

Ler mais deste artigo

Estudo entregue à troika propõe fecho de 800 km de linha férrea

Troika

Documento feito, à revelia da Refer, pelo anterior Governo do PS
deixa a rede ferroviária circunscrita basicamente ao eixo Braga-Faro,
Beira Alta e Beira Baixa. Restantes linhas seriam amputadas ou
desapareceriam.

A concretizar-se, será uma razia idêntica à do
fim dos anos de 1980, quando Portugal encerrou 800 quilómetros de linhas
de caminho-de-ferro, sobretudo no Alentejo e em Trás-os-Montes. O
Governo de José Sócrates propôs à troika o encerramento de 794
quilómetros de vias-férreas, também com particular incidência no Norte e
no Alentejo, mas desta vez incluindo algumas linhas do litoral, como a
própria Linha do Oeste, que seria encerrada entre Louriçal e Torres
Vedras (127 quilómetros).

O estudo foi realizado, à revelia da
Refer, por uma equipa conjunta do Ministério das Finanças e do
Ministério das Obras Públicas e Transportes. E consolida o fim das
linhas que até agora estavam encerradas “provisoriamente” à espera de
obras de modernização.

Ler mais no… http://ecosfera.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1500246

Incêndio num prédio das Caldas da Rainha faz 3 mortos e 7 feridos

Caldas da Rainha
Incêndio num prédio das Caldas faz 3 mortos e 7 feridos

O incêndio que esta madrugada deflagrou num prédio alugado em sistema de pensão, na zona histórica das Caldas da Rainha, acabou por fazer três mortos e sete feridos entre as pessoas que ocupavam a habitação no centro da cidade.

Um incêndio num prédio nas Caldas da Rainha fez esta madrugada três vítimas mortais e sete feridos. As vítimas dormiam nas águas furtadas e terão morrido devido à inalação de fumo. As autoridades estão a investigar as causas deste fogo que deflagrou no primeiro piso de um prédio situado no centro das Caldas. Entretanto, uma moradora acusa o 112 de ter demorado uma hora a acionar os bombeiros.
Ler mais deste artigo

Mau tempo: Estradas cortadas no Oeste devido a lençóis de água

Meteo

Várias estradas municipais nos concelhos de Alenquer e Torres Vedras estão cortadas ao trânsito devido à existência de lençóis de água provocados pela chuva intensa, disseram à Lusa fontes da GNR.

Em Alenquer, a estrada municipal que atravessa a localidade de Abrigada está cortada, o mesmo se passando em Mafra, nas localidades de Santo Isidoro e São Julião.
Ler mais deste artigo

Torres Vedras: temporal na região Oeste, Ministro da Agricultura visita estufas reconstruídas um ano depois

Ministro da Agricultura visita estufas reconstruídas um ano depois do temporal na região de Torres Vedras

Free Image Hosting at www.ImageShack.usO ministro da Agricultura visita hoje várias explorações agrícolas que foram recuperadas e em alguns casos ampliadas, depois de destruídas pelos ventos fortes que atingiram há precisamente um ano a região de Torres Vedras.

Após o mau tempo que afetou vários concelhos do Oeste a 23 de dezembro, cerca de 90 por cento das estufas de hortícolas já foram reconstruídas, disse à agência Lusa o presidente da Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste.

Além da reconstrução, vários produtores ampliaram a área de produção, aproveitando a celeridade na aprovação e nos pagamentos das candidaturas ao Programa de Desenvolvimento Rural, PRODER.
Lusa

%d bloggers like this: